Dianabol (Metandrostenolona) – Como Funciona e Efeitos Colaterais

O Dianabol (Metandrostenolona), também conhecido como DBol, é um esteroide muito usado entre fisiculturistas e praticantes de treino intensivo. Desenvolvido nos Estados Unidos, o Dianabol é um esteroide que surgiu com o objetivo de propor algo diferente ao mercado: o de não ser aplicado por meio de injeções. 

Embora possa ser encontrada sendo vendida em sites na internet, a sua utilização só deve ser feita sob prescrição e acompanhamento médico.

O que é?

O Dianabol (metandrostenolona), também conhecido como Dbol, é um derivado da testosterona que exibe fortes propriedades anabólicas e propriedades androgênicas moderadas. Ele é o esteroide mais usado para aumento de desempenho de performance e físico.

O dianabol (metandrostenolona) foi arquitetado para que as propriedades androgênicas (masculinizantes) do hormônio fossem reduzidas e suas propriedades anabolizantes (construção de tecidos) fossem preservadas.

Com um nível mais baixo de androgenicidade relativa do que a testosterona, a metandrostenolona é classificada como um esteroide “anabólico”, embora ainda exista um lado androgênico bastante presente.

As diferenças estruturais entre as moléculas de testosterona e de metandrostenolona fazem com que a metandrostenolona seja mais facilmente administrada e possa entrar no fígado e passar pelo corpo sem ser destruída por este órgão.

Como funciona?

O Dianabol é usado como um esteroide de volume que produz principalmente um aspecto de músculos inchados. É principalmente adicionado como um pontapé inicial para começar a criar volume nos ciclos de esteroides (quando uma pessoa toma diversos anabolizantes de uma vez para potencializar os efeitos) durante as primeiras 6 semanas.

Isso é feito para permitir que os esteroides injetáveis produzam resultados, enquanto o dianabol fornece ganhos rápidos como força, tamanho, massa e confiança.

Efeitos colaterais

Vimos que o Dianabol (metandrostenolona) pode ser um potente esteroide, mas é muito importante saber que ele também traz efeitos colaterais notáveis. Embora tenha sido projetado para converter menos em estrogênio, a molécula acabou desempenhando muito mais esse papel do que a testosterona.

O fato do dianabol ser convertido em um potente estrogênio no corpo, explica o usual inchaço, pressão arterial alterada, ginecomastia e dores de cabeça causadas pelo uso prolongado ou em altas doses.

É sempre bom lembrar que o Dianabol é um medicamento e a sua utilização só deve ser feita sob prescrição e acompanhamento médico.

Dosagem

A composição e a dosagem da substância podem variar de acordo com o país e o fabricante, além dos objetivos e da forma de absorção. O Dbol é disponível para uso oral em comprimidos ou cápsulas e em líquidos, além da forma injetável.

As diretrizes de prescrição originais para o dianabol exigiam uma dosagem diária de 5 mg. Isso deveria ser administrado de forma intermitente, com o medicamento tomado por mais de 6 semanas consecutivas.

Posteriormente, uma pausa de 2 a 4 semanas foi recomendada antes que a terapia fosse retomada. Para fins de desenvolvimento físico ou de desempenho, o fármaco também é usado intermitentemente, com ciclos geralmente durando entre 6 e 8 semanas de duração, seguido de 6 a 8 semanas de “folga”.

Sem dúvidas, o dianabol é um anabolizante que resulta em efeitos visíveis quanto ao ganho de massa muscular e força. Porém, é preciso estar ciente dos riscos de efeitos colaterais. Lembrando, claro, que a prática de exercícios físicos e musculação, além de uma dieta equilibrada, são indispensáveis para manter o organismo saudável.